f_Trafico Vila Sororô -Marcos Santos Sousa e Jorge Ferreira da Silva (2)

A juíza substituta Nilda Mara Miranda Freitas Jacome, da 2ª Vara Criminal de Marabá, decretou nesta sexta-feira (8) a prisão preventiva do taxista Jorge Ferreira da Silva e de Marcos Santos Silva. Ambos foram autuados por tráfico de drogas nesta semana na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil e transferidos para o Centro de Triagem Masculina de Marabá (CTMM), onde deverão aguardar o julgamento.

Os dois foram apresentados durante plantão do delegado Álvaro Ikeda na madrugada de quinta-feira (7), pela Polícia Militar, que realizou a prisão após abordar o táxi Clevrolet Classic, de placas OTF-5226, conduzido por Jorge, no Km 45 da Rodovia BR-222, próximo à Vila Sororó. Marcos estava na carona. Conforme o sargento Edson Rodrigues da Silva, a droga e uma arma de fogo, pelo porte da qual Marcos também foi autuado, foram encontrados durante a revista ao veículo.

Os militares informaram que aproximadamente 700 gramas de maconha estavam escondidos embaixo do assoalho do banco traseiro, envoltos em uma sacola plástica, onde também foi encontrado um revólver calibre 38 com duas munições intactas. “Abordamos o veículo táxi e encontramos esses dois elementos em posse de dois tijolos de droga e um revólver. Questionados para onde iria a droga eles informaram que uma parte ficaria na Vila Sororó e a outra seguiria para Curionópolis”, comentou o sargento Edson.

Apesar de Marcos ter assumido aos policiais militares que era o dono dos objetos ilícitos, o sargento afirmou acreditar que o motorista sabia da carga que estava transportando, uma vez que, de acordo com o policial, Jorge já foi preso anteriormente por um crime semelhante. “Acredito que o taxista é consciente do frete que estava fazendo porque ele já puxou cadeia por tráfico e foi preso nessa mesma modalidade, dando apoio em condução de droga de um município para outro, é reincidente”, observou.

Ouvido pelo CORREIO, Marcos, de 19 anos, disse que mora no Km 30, em Curionópolis, e não confessou, mas também não negou o crime. Ele afirmou, ainda, que o taxista nada tinha a ver com aquela situação. Jorge se defendeu, afirmando é taxista há 39 anos e estava trabalhando quando foi abordado por Marcos. “Ele pegou o carro e me pediu para levar ele no (Km) 30. Sou taxista, tenho que ir. Não sabia que era traficante. Se eu soubesse não teria ido”, declarou.

Também nesta sexta-feira a mesma juíza determinou a prisão preventiva de Lucenilde da Rocha Magalhães, mais uma autuada por tráfico de drogas, na quarta-feira (6), e recolhida à Central de Recuperação Feminina de Marabá (CRFMM). Com ela, foi preso Fernando Alves Moreira, mas a magistrada, apesar de homologar a prisão em flagrante por tráfico, decidiu expedir o alvará de soltura dele.

Os dois foram conduzidos para a Seccional pela Polícia Militar. Conforme consta registrado em boletim de ocorrência, a mulher recebeu voz de prisão em sua residência, na Rua Taperebá, Bairro São Félix I, após Fernando ter sido preso em via pública com seis petecas de crack e informando que comprou a droga das mãos de Lucenilde. A juíza entendeu que não há elementos suficientes para concluir que o homem seja traficante, havendo, segundo ela, indícios de que ele é usuário de drogas, por isso irá responder à acusação em liberdade. (CT Online/Luciana Marschall com informações de Josseli Carvalho)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.