Sem título

As famílias atingidas pela erosão no município de Rondon do Pará, no sudeste do estado, pedem ações do poder público para solucionar o problema. Em janeiro de 2015, três casas desabaram e nove famílias foram remanejadas para moradias alugadas pela prefeitura do município e não tem previsão de retorno para suas propriedades.

O aposentado Francisco Silva visita uma vez por dia a residência em que morou por 22 anos com a família. Há 12 meses ele precisou abandonar o lugar, devido à cratera que engoliu parte da rua. “Um dia eu tenho que voltar para cá, eu não quer o ir para outro lugar”, diz o aposentado.

Duas casas da área ainda correm risco de desabamento. De acordo com a técnica de enfermagem Dejacira Aragão, a calçada de uma das casas interditadas desmorou na noite de domingo (24). “Dá um medo, porque cada pedaço de areia que cai, treme. Eu tenho que abale a estrutura da casa”, afirma Dejacira.

Um convênio assinado entre a prefeitura de Rondon do Pará e o Ministério da Integração Nacional destinaria R$ 4,5 milhões para a recuperação da rua Bahia, que segue interditada, mas as obras ainda não começaram.

A prefeitura do município informou que o recurso ainda não foi liberado, e que precisaria de pelo menos parte do dinheiro para abrir a licitação. A Secretaria de Administração do município informou ainda que o prefeito da cidade está em Brasília para se reunir com representantes do ministério e resolver a situação.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.