Um levantamento feito pelo Conselho Tutelar da Criança, em Codó, aponta que grande parte dos casos de maus tratos e abuso sexual registrados no município tem como autores os parentes das vítimas. O relatório final ainda está sendo concluído, mas conselheiros tutelares adiantam que mais de 20 casos de abuso sexual foram denunciados.

A conselheira tutelar Conceição Rodrigues conta que várias pessoas são ouvidas quando uma denúncia é recebida. “A denúncia é feita, uma equipe é mandada para o local. Se ouve familiares, se ouve a própria vítima – dependendo da idade -, se ouve vizinhos, que ouvem a criança chorar”.

Manoel Júnior, que também é conselheiro tutelar, lamenta que as denúncias feitas indicam que pessoas próximas das vítimas continuam sendo as principais agressoras. “Infelizmente, membros da família: tios, primos, padrastos, vizinhos são os maiores vilões nesse sentido de abusar sexualmente de uma criança ou de um adolescente”, relatou.

Ainda segundo Manoel, o Conselho Tutelar não tem poder para prender os suspeitos. A denúncia é recebida, averiguada e encaminhada para órgãos que trabalham junto com o Conselho, mas esbarra em um processo burocrático.

“Nós fizemos a nossa parte, que é o atendimento, o encaminhamento, para os órgãos que trabalham junto com o Conselho Tutelar. Alguns casos foram encaminhados ao Ministério Público, outros não foram, pois não foi concluído o processo”, finalizou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.