Resize
Josafá de Brito e Adenilson Neves receberam o SIE das mãos do vice-governador Zequinha Marinho e do diretor geral da Adepará, Luciano Guedes.

Na sexta-feira (29), o Governo do Estado concedeu o 15º certificado do Serviço de Inspeção Estadual (SIE) a um matadouro e frigorífico. Localizada no município de Brasil Novo, a empresa do mesmo nome de propriedade de Josafá de Brito e Adenilson Neves, recebeu o SIE das mãos do vice-governador Zequinha Marinho e do diretor geral da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), Luciano Guedes. Atualmente, mais quatro empresas estão em processo de certificação junto a Adepará.

“Uma certificação como essa nada mais é que uma obrigação do governo, de qualquer governo. Nosso papel é o de dar condições para que as iniciativas em prol da economia e do social com a geração de empregos, sejam bem acolhidas e gerem frutos. O governo do Estado está sempre disposto a contribuir, correr sempre atrás de soluções e fazer a coisa acontecer. Desejamos sucesso ao novo empreendimento de Brasil Novo, que possa trazer benefícios à população”, comentou o vice-governador.

O diretor geral da Adepará explicou o papel da agência na certificação dos matadouros e frigoríficos. “É de responsabilidade da Adepará orientar e verificar esses empreendimentos para que eles estejam de acordo com as normas de segurança sanitária. Depois de um processo onde são feitas inspeções, chega-se à certificação, que é o caso do frigorífico Brasil Novo”, disse Luciano Guedes, que esteve ao lado do novo diretor de área animal, Jefferson Oliveira.

Josafá de Brito agradeceu em nome da região o empenho de Zequinha Marinho e de Luciano Guedes, que não mediram esforços para a viabilização do projeto. “Somos muito gratos por todo o incentivo para essa geração de emprego e renda para nossa região, que é fundamental para a nossa população”, ressaltou.

O frigorífico do município do sudoeste paraense conta, atualmente, com 18 funcionários. Ao receberem o SIE e, com ele, a possibilidade de comercializarem sua produção em todo o território estadual, esse número deve subir substancialmente. “Antes, tudo o que produzíamos ficava dentro de Brasil Novo, agora podemos vender para todo o Pará. Com isso, estávamos com uma média de abate de 20 cabeças de gado por dia, mas com as adequações feitas, podemos chegar a até 100 cabeças por dia. Isso deve aumentar a quantidade de funcionários que temos. Nossa estrutura é para até 60 pessoas”, afirmou Josafá. “O incentivo do Governo do Estado foi fundamental para a gente e a Adepará não poupou esforços para que esse dia chegasse”, finalizou Adenilson. (Aurea Gomes)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.