Sem título

A Justiça Federal de Marabá condenou Roquevam Alves da Silva, líder do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), a 12 anos de prisão em regime fechado pela invasão da usina elétrica de Tucuruí em 2007. Além do período de reclusão, o juiz Marcelo Honorato estabeleceu multa de 1/30 salários mínimos por dia da ocupação. O réu informou que só irá se posicionar após entrar em contato com seu advogado.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, integrantes dos movimentos sociais MAB, Via Campesina, Sintesp e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invadiram as instalações da Usina Hidrelétrica de Tucuruí em 23 de maio de 2007. Os manifestantes derrubaram o portão, que é guardado por policiais militares, e ocuparam áreas estratégicas da Usina, inclusive a cabine do comando central.

Oito pessoas foram acusadas de terem mantido em cárcere privado dois funcionários da Eletronorte, tomar dois veículos da usina que foram utilizados para montar uma barricada e colocarem em risco o fornecimento de energia da usina ao invadirem a casa de força e o comando operacional.

A justiça entendeu que Roquevan liderou a ação, mas condenou também a ré Euvanice de Jesus Furtado a cinco anos e seis meses de prisão em regime semiaberto por atentado contra a segurança de serviço essecial, e Roger Balieiro Veiga a três anos de prisão em regime aberto por envolvimento com a quadrilha. Os demais acusados foram absolvidos.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.