0f58f51fa71677094b42b061959122be

O Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (Igeprev) fez um mutirão para atendimentos no último dia de 2015, apesar da data ter sido ponto facultativo no governo do Estado. Mesmo assim, 1.449 aposentados e pensionistas perderam o prazo, (31 de dezembro) para atualização de suas informações no órgão e, agora, estão sob o risco de terem os seus pagamentos suspensos.

Quem não se recadastrou dentro do prazo pode ficar sem o benefício já a partir deste mês, cujo pagamento é realizado em fevereiro. Este é o planejamento inicial do Igeprev, porém, o início da suspensão ainda não está totalmente definido porque o órgão optou em aguardar algumas semanas para, então, publicar a lista oficial com os nomes dos atingidos pela medida.

Esse prazo de carência ocorre porque a gestão à frente do instituto acredita que ainda possa chegar, pelos Correios, documentação de quem, por ventura, não resida mais no Estado. Para atender a todos os beneficiados, o Igeprev disponibilizou o recadastramento também pelo serviço de correspondência. “A lista deverá ser publicada após verificação que já está sendo feita nos dados dos recadastrados, aguardando também a chegada de formulários enviados pelos segurados via Correios. Isso deve acontecer por volta do dia 20/01 próximo”, diz trecho da nota.

Caso a suspensão não ocorra no pagamento de janeiro, será feita a partir da folha do próximo mês.

Balanço

As 1.449 pessoas que não se recadastraram correspondem a 15,58% dos beneficiados do Igeprev. Entre os que estão com pendências no órgão por não terem feito a prova de vida, 805 são aposentados e 644, pensionistas.

Entre os mais de 7 mil que fizeram o recadastramento dentro do prazo, o Igeprev já identificou situações em que os benefícios serão cancelados porque estão indevidos. Contudo, a divulgação oficial dessas informações será feita possivelmente no próximo mês.

Regularização

Quem perdeu o prazo do recadastramento deve procurar o Igeprev, em Palmas, para saber como proceder. No interior, o segurado pode buscar orientação nas unidades do É Pra Já em Gurupi e em Araguaína.

Pelos telefones 0800 647 0747 e (63) 3218-3252, o Igeprev também tem um central para prestação de informações.

Pagamento indevido

O recadastramento no Igeprev, chamado de prova de vida, foi uma das medidas adotadas após a identificação do pagamento de R$ 915 mil a 98 pessoas já falecidas, no período de 2003 a 2014. O motivo desses pagamentos indevidos alegado pela atual gestão, que identificou o problema, é que houve erro no sistema e também falha, pela ausência de recadastramentos como o de agora, que permitem o acompanhamento dos beneficiários. O Igeprev conseguiu parte do recurso de volta, mas ainda busca o ressarcimento. (Jornal do Tocantins)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.