A Promotoria de Justiça Militar do Ministério Público do Pará (MPPA) vai investigar possíveis irregularidades no concurso público do Corpo de Bombeiros Militar do Pará. O concurso oferece 330 vagas, sendo 300 para soldado e 30 para oficiais, com a prova prevista para o próximo domingo (24).

De acordo com o edital, os candidatos devem ter no máximo 27 anos de idade na data de inscrição do concurso, mas um homem de 30 anos e um de 60 anos estão entre os inscritos estão autorizados a fazerem as provas.

“Caso a administração pública realize o certame com essa irregularidade pendente, a promotoria vai instaurar o procedimento criminal, vai imediatamente solicitar a anulação do concurso e vai investigar possível crime de estelionato praticado por um agente da administração pública”, afirma o promotor Armando Brasil.

De acordo com o capitão Fábio Costa, do Corpo de Bombeiros, a corporação ainda não foi notificada pela promotoria militar. “Não foi constatado nenhum processo ilícito em qualquer inscrição de qualquer candidato. Cabe agora à Promotoria Militar do estado averiguar se há algum indício de irregularidade”, diz o capitão.

Suspensão

No último dia 14, a Justiça determinou a suspensão do concurso público devido à sua realização em apenas quatro cidades do estado: Belém, Santarém, Marabá e Altamira. A Promotoria de Justiça de Itaituba alegava que candidatos do sudoeste paraense seriam prejudicados com a limitação dos locais de prova.

A empresa terceirizada responsável pelo concurso chegou a selecionar espaço para a realização de provas em Itaituba, mas a liminar foi derrubada e o concurso vai ser realizado nos quatro municípios anteriormente previstos no edital.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.