As secretarias de Meio Ambiente, Semmarh; Planejamento Urbano, Seplu; Agricultura, SEAAP; e Trânsito, Setran, realizaram esta semana, operação conjunta no setor Mercadinho. Objetivo é o ordenamento e organização do espaço no local, através de conscientização aos comerciantes. Equipes percorreram a Rua Benedito Leite, e orientaram feirantes e vendedores diversos para se adequarem às exigências de organização, dentro do prazo estipulado.

A Semmarh fez orientação sobre o acondicionamento de lixo e aproveitamento de materiais recicláveis. O engenheiro agrônomo da secretaria, Fábio Batista, afirmou que primeiramente foi realizado levantamento da área. “Esses resíduos não podem ser despejados em qualquer local, é importante separá-los para entregar à Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Imperatriz, Ascamari, para reciclagem”.

Ele informou ainda que, a parte orgânica dos resíduos do Mercadinho, será aproveitada para fazer compostagem e utilizar na produção de hortaliças, em um projeto denominado “Compostagem Imperatriz”, em parceria com a SEAAP.

Na operação, a Secretaria de Planejamento Urbano ficou responsável por fiscalizar a ocupação irregular das calçadas e passeio público, por parte dos comerciantes e ambulantes. De acordo com o fiscal de Postura da Seplu, Paulo Rogério, o objetivo é desobstruir e facilitar o acesso ao passeio público. “A gente veio para conscientizar, e em acordo, nós demos o prazo adequado de sete dias, e após isso, quem não agir de maneira adequada, vamos entrar com uma ação mais firme de notificação, se necessária, para poder regularizar o quanto antes essa situação” – detalhou.

O secretário adjunto da SEAAP, Gregório Sousa, enfatiza que desde o início, a indicação do prefeito Assis Ramos é que haja uma conscientização do pessoal  no setor. “Essa tentativa de organizar já vem há mais de décadas, e nós acreditamos que em parceria com as outras secretarias, essa situação será resolvida, acredito que em conjunto, teremos êxito”.

Ao percorrer o setor do Mercadinho, na Rua Benedito Leite, facilmente é possível identificar várias irregularidades, ocupação irregular de bancas, carrinhos de mão e caixotes em locais destinados ao estacionamento e calçadas, restos de alimentos lançados na sarjeta e mal acondicionados.

O comerciante Gilvan Moreira, trabalha no Mercadinho há mais de 40 anos, acredita que a situação pode ser revertida. “Com essa ação, nossa esperança é que melhore o fluxo tanto para nós comerciantes, quanto para consumidores e visitantes. Parabenizo toda a equipe do prefeito Assis Ramos, pois foi o único prefeito que teve disposição para organizar esse setor” – afirmou.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.