assassinodécDênis Nascimento Alves, 32 anos, e Jhonatan Souza Silva, 29 anos serão julgados pelo 3º Tribunal do Júri de Belém, na quinta-feira (25). A dupla é acusada de matar a tiros o instrutor de auto-escola Washington Botelho da Costa, 35 anos. A informação foi divulgada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA) nesta quarta-feira (24).

Nove testemunhas foram arroladas, sendo todas elas residentes em Água Azul do Norte e Xinguara.

A defesa dos acusados será promovida pelo defensor público Rafael Sarges. Na acusação vai atuar o promotor de justiça Edson Souza. Somente Jhonathan Souza Silva, que cumpre prisão no Maranhão por outro homicídio, estará presente no júri. O parceiro Denis Alves é foragido da justiça e foi intimado por edital.

Consta no processo, que o crime ocorreu por volta das 9h30, no dia 14 de setmebro de 2009, em Vila Nova Canadá, localizada em Água Azul do Norte (Oeste do Pará). A execução do instrutor teria sido encomendada por um terceiro acusado supostamente por  motivação passional. A vítima conduzia um veículo da empresa onde trabalhava e ao parar para conversar com um cliente da auto-escola, os dois réus teriam chegado numa motocicleta, modelo Honda 150, sem placa,  efetuando vários disparos de pistola.

Testemunhas identificaram que os assassinos trajavam blusas pretas (uma delas com a letra Y estampada) e capacetes de cor preta.  Após alvejarem a vítima fugiram por uma vicinal sendo interceptados pela polícia na cidade vizinha de Xinguara, na motocicleta com a mesma característica dos pistoleiros e portando o mesmo tipo de armas usadas no crime.

O júri da dupla foi inicialmente desaforado para Altamira e ano passado para Belém visando mais segurança e isenção dos jurados.  Os acusados respondem por outros homicídios na região do Oeste do Pará e já são condenados pela Justiça do Maranhão pelo homicídio do jornalista Décio Sá, em abril de 2012, num bar da orla marítima de São Luiz. (DOL)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.