Roubos e furtos a quem anda a pé aumentaram não só em Palmas, mas no Estado todo. E a população está reclamando sobre essa falta de segurança nas ruas. O roubo a transeunte tem se revelado um problema, tendo em vista que as pessoas passaram a andar com um objeto muito cobiçado: o celular, que geralmente tem um valor elevado.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), em 2014, foram registrados 934 roubos a transeuntes em Palmas e, em 2015, 1.183. Já os furtos, em 2014, a SSP registrou 133 casos e, em 2015, foram 190.

E os bandidos estão agindo a qualquer hora do dia. O estudante Wualisson Chaves da Silva, de 18 anos, foi assaltado às 15 horas na Quadra 106 sul, no centro de Palmas. “Estava sozinho, voltando do mercado e a 30 metros da minha casa um sujeito de moto me abordou. Ele insinuou que estava armado e me mandou passar o celular. Na hora eu entreguei porque não poderia fazer nada”, diz o estudante, afirmando que não reagiu ao assalto.

Wualisson, que mora em Palmas há um ano e meio, diz perceber que a segurança na cidade não é eficiente. “Desde que cheguei aqui, vejo poucos policiais nas ruas”, reclama.

No Estado, o número de crimes desse tipo também é crescente, de acordo com dados da SSP. Entre os anos de 2014 e 2015, os roubos a transeuntes aumentaram 79%, de 1.908 para 2.403 registros. Os furtos também cresceram consideravelmente nesses anos, de 421 para 697 registros, resultando em um aumento de 60%.

Manifestação

Preocupados com o aumento no número de assaltos, principalmente nos pontos de ônibus, alunos de uma faculdade na Avenida NS-2 organizaram um manifesto na última quinta-feira, para pedir mais segurança. De acordo com a diretora da faculdade, Sandra Maria Barbosa Silva, a instituição está apoiando a iniciativa dos alunos. “Aqui temos seguranças, mas na rua não podemos garantir a integridade dos alunos”, afirma.

Para a aluna Paula Rosiane Silva Sousa, de 27 anos, chegar até o ponto de ônibus é perigoso. “Tenho medo, principalmente na saída da aula. Quase todos os dias escuto relatos de pessoas assaltadas aqui na avenida”, conta a estudante.

De acordo com Hérika Fernanda, 27 anos, estudante e uma das organizadoras da manifestação, só em fevereiro já aconteceram dez assaltos nas proximidades da faculdade.

Os alunos foram até à Câmara Municipal de Palmas para pedir ao Legislativo que encaminhe dois ofícios, um para a Secretaria Municipal de Insfraestrutura e Serviços Públicos e outro para a Secretaria Municipal de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transporte, solicitando iluminação, roço, instalação de semáforo e câmeras de monitoramento, com o objetivo de diminuir a ação dos bandidos. (Jornal do Tocantins)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.