capshor0708

O Ministério Público do Maranhão ajuizou Ação Civil Pública contra o município de Imperatriz, requerendo a imediata regularização da oferta de suprimentos aos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e Residência Terapêutica, no prazo máximo de dez dias, que se encerra no próximo dia 3 de março.

Em caso de descumprimento, o MP propõe o pagamento de multa diária de R$ 5 mil. A ação ministerial pede que a Justiça obrigue o município a restabelecer o abastecimento de alimentos, água e material de limpeza aos Caps III, Caps Álcool e Drogas, Caps Infanto Juvenil e Residência Terapêutica.

Ajuizou a ACP o promotor de Justiça Newton Belo, titular da Promotoria de Defesa da Saúde. No documento, ele explica que a solicitação já havia sido feita por meio de Recomendação, mas nenhuma medida foi tomada para solucionar o problema.

“A sociedade não pode se conformar com a insuficiência e ineficácia na prestação de serviços relacionados à saúde”, declarou Newton Bello. “Cabe ao Poder Judiciário, em defesa dos direitos fundamentais, obrigar a realização do fornecimento de itens básicos e necessários”, completou. (iMirante)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.