Sem título

Além da crise econômica que afeta todo o país, outros fatores também contribuem para agravar a situação do comércio de Marabá, no sudeste do Pará. Na Antônio Maia, principal avenida comercial da cidade, pelo menos 14 lojas já fecharam as portas nesse início de 2016.

Para a comerciante Sônia Rodrigues, que está com um ponto comercial para alugar desde o ano passado, falta infraestrutura na área comercial para atrair consumidores. “A Antônio Maia está muito desleixada, está muito deixada aquém. Seria necessário que os governantes da nossa cidade olhassem para Marabá Pioneira com mais carinho”, disse a comerciante.
Felix Miranda também é empresário na cidade e vem passando pela mesma dificuldade.

Segundo ele, muitas empresas estão fechando porque diminuiu a movimentação de dinheiro na cidade. Além disso, a inadimplência favorece a quebra das empresas. “Fica o fornecedor sem receber e isso se torna uma bola de neve, principalmente no momento em que a gente vive”, afirma.

Segundo o Sindicato do Comércio, muitos fatores elevam as dificuldades para os comerciantes permanecerem ativos, como aluguel de imóveis, energia, carga tributária, encargos sociais e um próprio faturamento que compromete a permanecia no mercado.

Muitas empresas migraram para outras cidades fora do estado e também para munícipios que estão bem no desempenho econômico como Canaã dos Carajás. “Alguns seguimentos despontaram em Canaã em função dos dois projetos instalados lá”, explica Raimundo Neto, do Sindicato do Comércio de Marabá. (G1)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.