A Polícia Civil do Pará prendeu neste sábado, 13, em Goiânia, capital de Goiás, o goiano Juliermes Paulo Lima, apontado como mandante de um sequestro registrado em Redenção, no sul do Pará, em 12 de janeiro deste ano. Ele foi preso por policiais civis da Superintendência da Região do Araguaia Paraense e do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) do Sul do Pará, com apoio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), da Polícia Civil goiana. Segundo o delegado Antonio Miranda, titular da Superintendência, Juliermes já possui passagens pela Polícia e tem um mandado de prisão decretado pela Justiça de Mato Grosso. O preso ficou de ser transferido para Redenção neste domingo para responder pelo crime. Juliermes foi indiciado e teve mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça de Redenção.

Ele foi identificado como a pessoa que comandou a ação criminosa em que quatro homens vieram de Goiânia até Redenção para sequestrar familiares de um fazendeiro, com objetivo de cobrar R$ 3 milhões pelo resgate. Porém, diante da ação da Polícia Civil de Redenção, o plano dos sequestradores não deu certo. Assim, os bandidos ainda chegaram a sequestrar o neto de seis anos do fazendeiro, mas policiais civis e militares resgataram a vítima no mesmo dia do sequestro e prenderam em flagrante Luiz César de Melo, 52 anos; Leandro Cipriano de Souza, 28; Guilherme Dias dos Santos, 21; José Maria Ferreira de Aguiar, 32, e Marcos Alexandre da Cruz Medeiros, 30 anos. As prisões dos sequestradores foram realizadas em Redenção e em São Félix do Xingu no Pará. Ao todo, seis homens foram identificados por envolvimento no esquema criminoso. Um deles era Juliermes, apontado como mandante. O plano do sequestro começou, no final do ano passado, quando o fazendeiro, que é dono de propriedades rurais no sul do Pará, passou a ser extorquido após cair em um golpe.

A vítima chegou a pagar mais de R$ 1 milhão por um terreno localizado em São Félix do Xingu, que supostamente pertenceria a Juliermes da Silva. “Na verdade, tudo não passou de um golpe comandado por uma organização criminosa que atua em vendas de propriedades rurais”, explica Miranda. Segundo o delegado, a vítima soube do golpe, após descobrir o verdadeiro dono do terreno. O fazendeiro passou então a ser vítima de extorquido por parte de Juliermes e recebeu ameaças dos integrantes do grupo criminoso caso não pagasse mais R$ 3 milhões. Assim, ele procurou a Polícia Civil em São Félix do Xingu para denunciar o fato e as investigações se iniciaram.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.