granja080808

Um novo corredor sanitário para entrada e saída de aves vivas e ovos férteis foi aberto por meio de uma portaria publicada neste mês pela Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec-TO), no Diário Oficial do Estado. O Estado contava com oito barreiras, o nono corredor está localizado em Nova Olinda, região Norte do Estado.

Segundo a diretora de Defesa, Inspeção e Sanidade Animal do órgão, Regina Barbosa, a publicação regulamenta as barreiras sanitárias nas quais as transportadoras podem apresentar a carga sem problemas de possível transmissão de doenças. “Essa portaria só corrige a antiga regulamentação acrescentando o novo corredor”, esclarece, ao citar o documento que foi publicado em 20 de março de 2014.

A restrição de transito de aves vivas e ovos férteis oriundos de estados com classificação inferior ao Tocantins no Plano Nacional de Prevenção da Influenza Aviária e de Controle e Prevenção da Doença de Newcastle, que tem classificação C já é aplicada desde que a Instrução Normativa nº 56 de dezembro de 2007, do Ministério da Agricultura (Mapa), foi instituída.

Conforme Regina, nesses corredores existem barreiras sanitárias que realizam exames nas cargas para prevenção e controle de doenças transmitidas pelas aves. “Nas barreiras aves vivas, provenientes de estados com classificação menor que o Tocantins, são examinadas para evitar a entrada de possíveis doenças, como a gripe aviária”, explica.

Mercado

“O objetivo da portaria foi aumentar um corredor sanitário porque a demanda aumentou.” Segundo a diretora da Adapec, existia uma grande demanda por parte de Goiás para que fosse criado um novo corredor no município de Novo Alegre, para entrada de aves vivas.

Regina explicou ainda que a mudança foi solicitada para facilitar a entrega de aves vivas que vinham de Brasília nos municípios de Novo Alegre, Combinado, Lavadeira, Aurora do Tocantins, Taguatinga e Ponte Alta. “A nova barreira vai melhorar o fluxo de trânsito, já que naquela região só havia barreira próximo a Arraias, o que fazia com que as transportadoras dessem uma volta muito grande para entrar no Estado”, avalia.

Corredores

O Estado conta, atualmente, com nove corredores para entrada e saída de aves vivas e ovos férteis, sendo que eles estão localizados nas cidades de Araguatins, Caseara, Couto Magalhães, Aguarnópolis, Filadélfia, Talismã, Arraias, Ponte Alto do Bom Jesus e, agora, Novo Alegre.

Segundo os dados da Adapec, as transportadoras que trazem animais – para abate, engorda, incubação, postura, venda em comércio e aglomeração – vêm de Goiás, Maranhão, São Paulo, Pernambuco e do Distrito Federal, todos estes com a mesma classificação do Tocantins.

Comércio

Já no que diz respeito à comercialização de produtos, o Tocantins vende para 19 estados. Destes, 12 compram do abatedouro que fica em Aguiarnópolis e tem capacidade de abater 160 mil aves por dia. Os outros sete estados negociam com o abatedouro que fica em Paraíso do Tocantins, com capacidade de abate de 60 mil aves/dia.

Até agosto do ano passado, o Tocantins registrava 141 estabelecimentos avícolas cadastrados, sendo que o alojamento para frangos no Estado é de aproximadamente 7,1 milhões de aves de corte e capacidade de produção de mais de 4,5 milhões de ovos férteis. (Jornal do Tocantins)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.