Um dos carnavais mais tradicionais do Pará, reúne foliões enlameados na tarde deste domingo (11) no município de Curuçá, nordeste do Estado. A 29ª edição do bloco ‘Pretinhos do Mangue’ estima que 17 mil pessoas participem da festa. Com abadá ecológico para participar da folia, basta cobrir o corpo com a lama do mangue que há na cidade.

Uma banda de fanfarra faz a festa dos brincantes no trio elétrico que percorre as ruas de Curuçá. O bloco também tem carros alegóricos que fazem alusão a vida no mangue. O tradicional carro abre-alas é o “caranguejo”; o segundo carro é uma “ostra” que leva uma das representantes do blocoe simboliza a beleza da mulher curuçaense.

Mas nem só de lama se sujam os brincantes. O bloco tem a ala do “guará”, formado pelos foliões que se melam com argila vermelha. Para acompanhá-los uma réplica da “barraca do pescador” leva caranguejo para degustação para os brincantes.

O responsável pelo bloco, Edmilson dos Santos, ressalta que o bloco é uma grande homenagem ao mangue, de onde a comunidade da cidade tira seu sustento. “O bloco traduz a importância do mangue como identidade cultural dos curuçaenses. A cidade está lotada e nós esperamos uma grande festa”, comenta.

O servidor público Paulo Rocha, 60 anos, só não tinha lama na boca e nos olhos. “É uma forma de chamar a atenção para ó aquecimento global e para a preservação do mangue”, disse. Ele passa a lama em um ponto mais distante do mangue. “Vou buscar a lama mais pastosa “, disse.

O bloco surgiu de uma brincadeira em 1989, numa terça-feira de carnaval, quando dois amigos Everaldo e Sebastião, resolveram ir ao mangue pegar alguns caranguejos para o tira-gosto da festa. De acordo com a organização do bloco, os amigos observaram a escassez do crustáceo, resolveram desfilar no corredor da folia da cidade, lambuzados por inteiro de lama do mangue, em sinal de protesto. Aquele primeiro desfile, polêmico se tornou o tradicional Bloco Pretinhos do Mangue, que busca todos os anos difundir a conscientização para preservação do meio ambiente. (G1)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.