Nesta quinta-feira (3), uma audiência do Ministério Público do Estado discutiu a falta de acessibilidade em Marabá, no sudeste do Pará. Segundo o Ministério, prédios públicos e empresas privadas não possuem acessibilidade.

A Promotoria da Pessoa com Deficiência Física e Idosa realiza um levantamento sobre quais os problemas enfrentados por essas pessoas no dia-a-dia. Segundo o senso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística  (IBGE), cerca de 30% da população do município é composta por idosos e deficientes. Sendo, 25% deficientes e 5% idosos.

Após o levantamento, o Ministério Público pretende estabelecer metas de melhorias nas ruas, prédio públicos e em empresas privadas da cidade.

“É uma forma de se ouvir a população de Marabá. Eu digo que é um momento histórico, porque nunca em Marabá se foi feita esta oitiva formalmente”, afirma a promotora de justiça Lilian Freire.

A falta de estrutura das ruas preocupa o cadeirante Luiz Antônio Golfeto. “Falta a rampa, não temos espaço de estacionamento e quando tem as pessoas que tem carro não respeitam. Então eu acho que o que deixa a desejar na cidade é também o bom senso da população”, lamenta.

O cadeirante Luiz Carlos Dias sofreu uma lesão há 15 anos e enfrenta diariamente dificuldade para se locomover pela cidade. “Há 15 anos que eu ando brigando para melhoria não só para mim, mas para todos os portadores de necessidades especiais. Toda cidade precisa de acessibilidade” , ressalta.

A aposentada Maria Inês relata que há um mês caiu em uma calçada. “Caminhando eu escorreguei porque a calçada era meio lisa. Do nada eu escorreguei  e caí”, diz.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.