pantera

Na tarde desta sexta-feira, 25, por volta das 15h55, o presidiário araguatinense, Edson Pereira dos Santos (vulgo Pantera), de 32 anos, cometeu suicídio em uma das celas da Cadeia Pública de Augustinópolis, onde estava preso.

Segundo nossa equipe apurou, foi um agente penitenciário que encontrou o corpo de Pantera, pendurado pelo pescoço com um lençol. O agente havia entrado no setor carcerário para fechar o registro de água, quando notou o fato. A pericia foi acionada e compareceu até o local para constatar o ocorrido.

O agente penitenciário informou a Polícia que o último contato com Pantera foi por volta das 12h, durante a entrega do almoço. Pantera recusou a refeição, alegando estar de jejum. Ainda segundo relatos do agente, Pantera demonstrava comportamento estranho, pois por diversas vezes, pronunciou que queria beber sangue e utilizava um tom de voz estranho. Mas como sempre apresentava esse tipo de comportamento, o fato não foi levado em consideração.

Na mesma cadeia, Pantera já havia matado um outro preso, durante o banho de sol, utilizando um chuncho. O fato aconteceu em 5 de outubro de 2015. Antes disso, Pantera havia sido preso junto com outras 7 pessoas, em uma operação conjunta das Polícias Civil e Militar, todos suspeitos de cometerem vários crimes como, formação de quadrilha, posse ilegal de arma de fogo, roubo contra passageiros de ônibus e condutores de veículos nas rodovias TO-404 (Araguatins-Augustinópolis) e BR-230 (Araguatins-Prata), roubo às agências do Banco Postal na região, tráfico de armas e tentativa de sequestro.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.