Governador tem tido sérias dificuldades para articula ações de Segurança Pública
Governador tem tido sérias dificuldades para articula ações de Segurança Pública

Mais de 2 mil veículos foram roubados ou furtados em 2015 no Tocantins. Segundo a Polícia Civil, uma prática cada vez mais presente é a clonagem de veículos. Além disso, a maioria dos veículos levados são motocicletas.

Renata Camargo teve a motocicleta roubada em 2014. O veículo tinha apenas 20 mil km rodados. Agora, a esperança dela é encontra o meio de transporte novamente. “Até hoje não tive notícias. Estou sempre a procura, ligando no pátio da prefeitura, mas até agora minha motocicleta não apareceu.”

Conforme dados da Secretaria de Segurança Pública do Tocantins (SSP), em 2015 foram 559 roubos de veículos automotores.

Em 2016, já foram 61. O número de furtos foi bem maior, 1.585 no ano passado. Neste ano, foram 130 até o momento.

Em Araguaína, norte do Tocantins, dos 45 roubos registrados neste ano cerca de 90% eram motocicletas, conforme a Polícia Militar. “Ela facilita a realização de outros crimes de menor porte como o roubo de bolsas, celulares”, disse a comandante Patrícia Murussi.

No ano passado a polícia conseguiu recuperar 536 veículos. Neste ano, até agora, foram recuperados 109.

Clonagem

Uma prática que vem crescendo é a clonagem, quando um carro é roubado e usa-se documentos e numeração de um outro veículo que tem as mesmas características.

“Essas pessoas furtam os veículos geralmente em outros estados, clonam adulterando as características originais de chassis, motor, lacre e vendem aqui no Tocantins para receptadores que compram por valores bem abaixo do mercado”, explicou o delegado Rossílio Souza.

Conforme a comandante da PM, os proprietários precisam registrar o boletim de ocorrência e sempre procurar pelo veículo nos pátios. “É preciso fazer o registro na delegacia, porque vai fornecer telefones e assim que recuperado a polícia entra em contato.” (G1)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.