O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da Promotoria de Justiça de Colméia, recorreu na sexta-feira, 11, da decisão do juiz da 1ª Escrivania Criminal de Colméia, Ricardo Gagliardi, que revogou a prisão cautelar do ex-senador Nezinho Alencar, preso no mês de janeiro, sob a acusação do estupro de duas meninas de seis e oito anos de idade.

Na mesma ocasião, o promotor de Justiça, Guilherme Cintra Deleuse, também ofereceu denúncia criminal pelo crime de estupro de vulnerável. Deleuse, justifica  que em virtude estar em segredo de justiça, o MPE fica impossibilitado de citar o teor da denúncia.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.