Operadoras de telefonia lideram o ranking de empresas que mais geraram reclamações de consumidores em 2015, comandadas pela Brasil Telecom S/A (Oi), telefonia fixa e celular, com 842 processos administrativos instaurados. As informações são do Cadastro Estadual de Reclamações Fundamentadas, resultado da consolidação dos dados elaboradas pelo órgão público de defesa do consumidor e disponibilizadas no Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec).

O ranking traz uma lista com as dez empresas ou grupos empresariais que geraram maior número de reclamações fundamentadas – isto é, maior número de casos nos quais as demandas dos consumidores não foram solucionadas na etapa inicial dos atendimentos e, portanto, foram transformadas em processos administrativos.

O Sindec integra, hoje, mais de 26 Procons estaduais e 232 municipais e o Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas representa uma importante referência para todos os órgãos de defesa, imprensa, consumidores e para fornecedores.

Ao fazer esta divulgação, o Procon Tocantins cumpre as disposições do artigo 44 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) e auxilia os consumidores na escolha dos fornecedores de produtos e serviços.

Veja a lista

1º- Brasil Telecom Celular S/A (Oi-BrasilTelecom – tel celular) – 444 reclamações
2º- Brasil Telecom Celular S/A (Oi – Brasil Telecom – telefonia fixa) – 398 reclamações
3º- Nosso Lar – Lojas de Departamento Ltda -309 reclamações
4º- Americel S/A (Claro) -190 reclamações
5º- Semp Toshiba Amazonas S/A – 178 reclamações
6º- Samsung Eletronica da Amazônia Ltda – 171 reclamações
7º- Energisa Tocantins Distribuidora de Energia S/A – 159 reclamações
8º- Novo Mundo Móveis e Utilidades Ltda – 145 reclamações
9º- Nosso Lar- Rodrigo Bravo & Irmãos Ltda -138 reclamações
10º- CCE da Amazônia – CEMAZ Ind. Elet. da Amazônia S/A – 124 reclamações

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.