Nesta quinta-feira, 28, o pré-candidato a prefeito de Axixá do Tocantins, Damião Castro Filho, procurou a redação do webjornal Folha do Bico, para se manifestar sobre a decisão da Justiça Federal em suspender o auxílio-doença recebido por ele e que teve matéria neste jornal publicada sobre o assunto.

Segue Nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Gostaria de explicar a toda à população de Axixá do Tocantins e Região, que nunca recebi um centavo, indevidamente, pois tenho 19 anos de contribuição por que este motivo, eu ou qualquer outro cidadão temos os mesmos direitos.

Nunca declarei que sou lavrador, e esse meu auxilio é como digitador e que portanto, me causou uma invalidez urbana comprovada através da carteira de trabalho e do meu ultimo contra cheque do Estado, provando portanto, que fui contribuinte e em decorrência disso procurei meus direitos, fiz o pedido em Tocantinópolis que me foi negado, mas vendo que tinha possibilidade de conseguir recorri a Justiça Federal, onde passei por um medico e um juiz federal, que me deram o direito de receber tal auxilio, então por este motivo não vejo o porque de uma má repercussão em relação a tal fato.

Não existe verdade quando dizem que eu sou um exímio praticante de vaquejada, já que para isso se faz necessário o uso dos dois braços inclusive o direito o qual tenho o referido problema. Verdade seria se tivessem dito que meu esporte é Cavalgada.

NoTexto falam que eu recebi o auxilio e trabalhava no hospital ao mesmo tempo, isto é outra inverdade, já que não há possibilidade de trabalhar e receber o auxílio ao mesmo tempo. Ou se tem um trabalho ou se recebe um benefício. E só a título de esclarecimento só passei a receber o referido auxilio apartir de 2014.

Quero dizer ainda a quem redigiu essas inverdades e ao senhor J.A.C.A de 64 anos que o INSS é para todos os trabalhadores e não só para os que trabalham na roça como lavrador.

Qualquer pessoa que contribua junto a previdência tem os seus direitos adquiridos sendo um prefeito, um deputado, um presidente, enfim todos tem os mesmos direitos quer seja a um aposento quer seja a um beneficio.

Já para a senhora, Andreia Sousa Aragão sei que não está sendo fácil conseguir aposentar a sua mãe, já que infelizmente sabendo que ela tem direito, tem toda uma burocracia. Mas mesmo sendo repetitivo só para lhe deixar claro não sou aposentado, recebia sim um auxilio doença temporário e que assim como sua mãe solicitei pela maneira correta, já que também tenho os meus Direitos.

Por não saber quem redigiu o texto quero deixar claro que se se tratar de adversário o mais correto seria se as preocupações fossem outras, por exemplo, as dezenas de funcionários que estão inadimplentes com o INSS, já que a prefeitura desconta o valor em folha de pagamento e não faz o repasse a previdência impossibilitando assim os funcionários de se aposentarem, além dos consignados que também são descontados e não são repassados ao banco deixando os funcionários com o nome restrito junto ao SERASA a ponto de não poderem fazer a compra de produtos/mercadorias em parcelas.

Outro fato notório é o dos funcionários verem descontados em seu contracheque o valor correspondente ao plano de saúde e não poderem gozar de tal beneficio já que também a prefeitura não faz o repasse para a empresa UNIMED.

Isso sim é uma vergonha, trabalhar e não poder se aposentar, de deixar o nome dos funcionários sujos e de ter um plano de saúde e não poder usa-lo, pura falta de respeito com o trabalhador.

DAMIÃO CASTRO FILHO

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.