b7fb4fa3-8038-4117-9a24-8c7faec7fa08

Furiosa. Esta foi a forma que um articulador do Palácio Araguaia resumiu ao webjornal Folha do Bico, a reação da deputada federal e primeira dama do Tocantins, Dulce Miranda (PMDB), às declarações do presidente estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), Júlio César Brasil, que chamou a parlamentar de oportunista e aproveitadora, após Dulce votar pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Nesta segunda-feira e manhã de terça, 19, a movimentação no Palácio Araguaia foi grande após um suposto pedido de Dulce Miranda, para que o PT fosse isolado dentro a administração estadual. Articuladores da Secretaria-Geral de Governo e Articulação Política e do Gabinete do governador, passaram a manhã desta terça tentando acalmar os ânimos.

Ainda segundo membro da equipe política do Governo, a primeira reação de Dulce ao ler a nota e ver os noticiários, foi de cobrar de Marcelo Miranda um posicionamento de retirada do PT. Mas que o governador e o secretária geral de Governo e Articulação Política, Lyvio Luciano Carneiro de Queiroz, teriam contornado o ímpeto da deputada.

Marcelo e Lyvio argumentaram que o PT foi importante no processo e que o Governo não gozaria de condições para o rompimento no momento.

Já pessoas próximas ao governador, comentam que a decisão de liberar Dulce para votar a favor do impeachment foi dura para Marcelo, pois o mesmo reconheceria o apoio do PT, mas a contribuição de Temer teria sido ainda maior e mais decisiva. Portanto seria impossível deixar de atender o vice-presidente da República.

Dulce e Vicentinho se desentendem

Antes do desentendimento com o PT, o clima esquentou no domingo, 17, entre os deputados federais Vicentinho Júnior (PR) e Dulce Miranda (PMDB). O bate-boca ocorreu no plenário da Câmara, logo após Vicentinho votar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). É que, no voto, Vicentinho criticou a postura do PMDB e citou o caso do Tocantins, onde o governador Marcelo Miranda (PMDB) foi cassado e classificou o líder peemedebista de “reincidente”.

Quando deixou o púlpito, Vicentinho foi abordado por Dulce, primeira-dama do Tocantins, para tirar satisfação. O clima esquentou e a situação perdeu o controle. Precisou que o deputado Carlos Gaguim (PTN) entrasse no meio para que o acalorado bate-boca fosse interrompido.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.