sitio_pimental_betto_silva_-_norte_energia_2

A primeira unidade geradora da Casa de Força Complementar da Usina Hidrelétrica Belo Monte, situada no Sítio Pimental, em Altamira, está gerando energia comercialmente com autorização do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A geração foi oficializada nesta quinta-feira (28). Segundo a Norte Energia, são mais 38,8 MW somados aos 611,1 MW, que já estavam sendo fornecidos pela Casa de Força Principal, no Sítio Belo Monte, desde o dia 20 de abril.

Para gerar comercialmente, Pimental foi submetida às exigências do ONS, que determina 96 horas de funcionamento ininterruptos da turbina. A partir da confirmação, o pedido para gerar foi encaminhado à Aneel, que homologou a autorização com publicação no Diário Oficial da União.

A Casa de Força Complementar foi construída ao lado do vertedouro e da barragem principal da Usina, como forma de aproveitar a água do Reservatório Xingu (principal). Suas turbinas são do tipo Bulbo, posicionadas na horizontal para se movimentarem a partir da passagem natural da água pelas unidades geradoras.  De aproveitamento hidráulico modesto, representando apenas 3% de toda a energia gerada no empreendimento, Pimental tem capacidade instalada de 233,1 MW.

De acordo com a Norte Energia, lá serão instaladas, gradativamente, a cada dois meses, em média, mais cinco turbinas com potência instalada de 33,8 MW. A primeira unidade geradora está integrada ao Sistema Interligado Nacional desde o dia 1° de abril, operação também autorizada pela Aneel.

As obras civis de Belo Monte estão praticamente concluídas e os trabalhos de montagem eletromecânica continuam no empreendimento. A previsão é que a cada dois meses, em média, seja ativada uma nova turbina até o pleno funcionamento da hidrelétrica, em 2019.

Segundo a Norte Energia, Belo Monte terá capacidade instalada de 11.233,1 MW, dos quais 11 mil MW na Casa de Força Principal e 233,1 na Casa de Força Complementar. A usina gerará para as distribuidoras que compraram energia em leilão de 2010, atendendo assim 60 milhões de pessoas em 17 estados do Brasil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.