Mais um passo para a candidatura própria do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) ao governo do Tocantins será dado neste sábado, 14. A base de filiados, futuros candidatos legislativos nas eleições gerais de outubro de 2018 e a direção do partido estarão reunidos à tarde no Hotel Castelo, na capital Palmas, com o pré-candidato a governador Mário Lúcio de Avelar para partilhar ideias, traçar estratégias e fortalecer mobilizações em torno da chapa encabeçada pelo procurador.

Tendo atuado no Tocantins durante muitos anos e em outras unidades da federação, Avelar ganhou projeção nacional por conduzir investigações que envolveram figuras graúdas da política nacional como Jader Barbalho e Roseana Sarney muito antes da Operação Lava Jato. Em razão de sua ligação com o Estado e em reconhecimento aos trabalhos prestados, o PSOL convidou-o para ser candidato ao governo.

Ciente do enorme desafio que representa a candidatura ao Palácio Araguaia, Avelar enfatiza que “todos nós temos um sentimento de inconformismo com a situação política, econômica e social do país e do Estado”. “Precisamos participar do processo e o PSOL é um partido que tem compromisso com a ética e com a realização de mudanças exigidas na linha da justiça social, do desenvolvimento integral e do combate à pobreza”, afirma o procurador, que estreará oficialmente nas urnas. “A nossa candidatura é a única verdadeiramente independente e sem compromissos com os grupos políticos tradicionais que levaram o Tocantins à instabilidade política e à crise social e econômica”.

Para Edgar Gomes, presidente estadual do PSOL, o momento atual leva a posicionamentos políticos. “Muita gente, de diferentes partes do Estado, está se filiando ao partido. Temos sido procurados de forma espontânea por jovens, em especial”, afirma o dirigente. Desde que assumiu o posto há um ano, Gomes viu dobrar o número de filiados à legenda. Esse aumento, lembra ele, segue tendência verificada também em nível nacional. Levantamento feito pelo portal UOL no final do ano passado revelou que o PSOL foi o partido que teve a maior alta (20%) entre todos os 35 partidos registrados na Justiça Eleitoral, com 25 mil novas filiações ao longo de 2017.

Na opinião de Gomes, “a política que o PSOL escolheu trabalhar, que é junto com os movimentos sociais, tem se mostrado correta e tem inspirado confiança”. Ele completa: “Todo mundo que se elegeu no Tocantins explorou o campo da esquerda para ter os votos necessários para chegar ao poder. Chegou a hora de termos a nossa própria candidatura”.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.