A presidente nacional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Maria Lúcia Falcón, participou nesta segunda-feira, 25,  de reuniões que discutiram a reforma agrária no sul e sudeste do Pará.

Segundo estudo divulgado este ano pela Comissão Pastoral da Terra, o Pará é o estado que concentra os casos de assassinatos por conflito agrário no Brasil. Em 2014, das 36 vítimas registradas no país, nove mortes ocorreram no Pará.

Historicamente marcado por crimes ligados a conflitos agrários, o Pará apresentou crescimento de 50 % no número de assassinatos: foram seis casos em 2013, contra 9 em 2014.

Na tarde, Falcón se encontrou com a juíza da Vara Agrária para discutir sobre os constantes conflitos agrários na região.

No final da tarde, a presidente do Incra se reuniu com integrantes do Movimento Sem terra para a elaboração de uma pauta unificada para a agilidade de reforma agrária.

Na terça (26), a presidente do Incra estará ema Belém, onde também vai discutir a reforma agrária no estado

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.