Teve início nesta segunda-feira, 25, e segue até a próxima sexta-feira, 29, o ciclo de ação educativa no Hospital Geral de Tailândia (HGT), no nordeste paraense, com o objetivo de evidenciar a importância e estimular a prática da higienização das mãos entre colaboradores, usuários e acompanhantes. A ação também visa a prevenção e redução de infecções, promovendo a segurança de pacientes, profissionais e demais usuários dos serviços de saúde. A atividade é alusiva ao Dia Nacional de Controle da Infecção Hospitalar, comemorado em 15 de maio.

A programação conta com demonstração da importância da higienização das mãos “in loco” e nos mais diversos setores do hospital, repasse de informações e orientações sobre o tema, através da fonia interna, distribuição de panfletos, vídeos e outras dinâmicas para sensibilizar o corpo funcional do HGT sobre a importância dessa prática tanto no aspecto profissional como no pessoal.

A ação ainda vai incluir os pequenos usuários internados nas enfermarias e no atendimento, para incentivar as crianças esse gesto simples e de higiene, com distribuição de folhas de papel para desenhar e para colorir, mostrando a lavagem das mãos.

Segundo o coordenador do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), enfermeiro José Juliano Costa, o simples ato de higienizar as mãos pode parecer banal. “Mas essa prática é uma das mais básicas, baratas e eficientes para o controle de infecções e prevenção da transmissão de germes”, aponta o enfermeiro. Ele destaca ainda que a ação visa estimular a conscientização dos profissionais de saúde e usuários sobre a importância da remoção de sujeira, suor, oleosidade, pelos, células descamativas e a microbiota da pele, interrompendo a transmissão de infecções cruzadas e veiculadas ao contato com as mãos, prevenindo e diminuindo as infecções.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) as mãos constituem a principal via de transmissão de microrganismos durante a assistência prestada aos pacientes, pois a pele é um possível reservatório de diversos microrganismos, que podem se transferir de uma superfície para outra, por meio de contato direto (pele com pele), ou indireto, através do contato com objetos e superfícies contaminados.

Devem higienizar as mãos todos os profissionais que trabalham em serviços de saúde, que mantém contato direto ou indireto com os pacientes, que atuam na manipulação de medicamentos, alimentos e material estéril ou contaminado. A higienização é simples: pode ser feita com sabão e água ou com álcool gel.

A programação deve envolver todos os colaboradores do HGT que terão as informações repassadas nos expedientes diurno e noturno. A ação do hospital está sendo organizada juntamente com a coordenação do SCIH, das Clínicas Integradas, Emergência e Ambulatório, do Centro Cirúrgico e Obstétrico e da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) e pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.