Sem título

Após três dias de interdição, a Estrada de Ferro Carajás, em Marabá, no sudeste do Pará, foi liberada pelos manifestantes na última quarta-feira (20). Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e da Federação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Estado do Pará (FETRAF) aceitaram desobstruir a ferrovia após reunião com um representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), que esteve no município.

A ferrovia foi bloqueada, no trecho do quilômetro 732, na madrugada da última segunda-feira (18), por manifestantes que protestavam contra a falta de estrutura em assentamentos e aldeias da região, e que se recusaram a assinar o termo de reintegração de posse da estrada de ferro. Segundo a Fetraf, cerca de três mil famílias da área aguardam por assentamento.

Após a desocupação, a Vale iniciou o trabalho de reparos na via e a operação ferroviária foi retomada por voltas das 22h de quarta-feira. De acordo com a assessoria da mineradora, a invasão da ferrovia não teve nenhum motivo relacionado à Vale e prejudicou a atividade de transporte de minérios, carga geral e de combustíveis, além do funcionamento do trem de passageiros, que transporta a cerca de 1.300 passageiros por dia nos estados do Pará e Maranhão. Ainda segundo a Vale, o trem de passageiros circulará normalmente nesta quinta (21), partindo da capital maranhense com destino a Parauapebas.

A mineradora informou também que ajuizará ações criminais visando a responsabilização e buscará o reparo dos danos causados pelos manifestantes durante a obstrução da ferrovia.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.