Um indicador inédito do Índice de Vulnerabilidade Juvenil – Violência e Desigualdade Racial (IVJ) mostra que os negros de 12 a 29 anos são as principais vítimas da violência e têm 2,5 vezes mais o perigo de serem assassinados no país do que os brancos. Segundo o levantamento, em todos os estados brasileiros, exceto no Paraná, os negros correm mais risco de exposição à violência, ou seja, estão mais vulneráveis que os brancos na mesma faixa etária. O Pará está em sétimo lugar no ranking nacional.

A pesquisa mapeou onde os jovens negros de 12 a 29 anos estão mais expostos ao problema. Numa escala de 0 a 1, o Estado de Alagoas (0,608) aparece como local de maior risco, seguido por outros três estados do Nordeste. O Pará vem em sétimo, com 0.493, num bloco em que é tido como alta a chance de vir a ser assassinado. As cidades mais violentas seriam: Altamira, Marabá e Parauapebas. Foram calculados os 288 maiores municípios do país.

O novo índice foi tirado com base em cinco categorias: mortalidade por homicídios, mortalidade por acidentes de trânsito, frequência à escola e situação de emprego, pobreza no município e desigualdade. A pesquisa é do Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade Racial, que foram desenvolvidos pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), em parceria com a Unesco, a pedido da secretária-geral da Presidência da República.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.