rafael_ribeiroOs corpos das duas mulheres enterrados no terreno de uma casa no município de Breu Branco, sudeste do Pará, foram esquartejados e o coração de uma das vítimas, assim como outros pedaços de carne e sangue humanos, foram encontrados dentro da geladeira da casa onde vivia o assassino confesso, Rafael Ribeiro da Silva, 27 anos. Os detalhes do caso chocaram a população da cidade. Os corpos foram liberados nesta segunda-feira, 11 pelo Instituto Médico Legal de Tucuruí, no sudeste do estado.

De acordo com a polícia, pedaços das coxas das vítimas estavam em sacos plásticos e armanezados no congelador. Uma garrafa com cerca de 2 litros de sangue também estava na geladeira. Em depoimento, Rafael negou o consumo de carne humana, mas a polícia diz que há vários indícios da prática e que não descarta a possibilidade de canibalismo.

O Instituto Médico Legal periciou os corpos. A polícia ainda está coletando depoimentos sobre o caso, e informou que não descarta a existência de outras vítimas em cidades por onde o homem tenha passado.

“Ele era uma espécie de nômade, não tinha uma cidade fixa. Temos notícia dele em Redenção, no Mato Grosso, no Tocantins. Tudo será investigado”, concluiu o delegado.
Os corpos das vítimas deverão ser enterrados no final da tarde desta segunda-feira (11), em Breu Branco. O suspeito foi transferido para o Centro de Recuperação de Tucuruí, onde está à disposição da Justiça.

Crimes bárbaros

A primeira vítima, Joana Cristina Soares da Silva, de 50 anos, era companheira do suspeito, e estava desaparecida. A polícia estima que sua morte ocorreu há 15 dias. A segunda vítima, Maria Zélia Ribeiro dos Santos, 46 anos, estava desaparecida há quase uma semana. De acordo com testemunhas, Maria foi vista em um bar da cidade acompanhada do suspeito. Foi a partir dessa informação que a polícia chegou até o homem que, na delegacia, teria confessado os crimes.

“Ele relutou bastante, mas depois de muito tempo de interrogatório, ele assumiu a autoria dos dois crimes”, contou o delegado Rommel Souza. Ainda de acordo com o delegado, em depoimento, o suspeito indicou o local onde os corpos foram enterrados: a parte externa da casa onde morava com Joana.

Segundo o perito criminal Andrey Fernandes, foram encontrados fragmentos dos corpos em vários lugares do imóvel. “Encontramos partes dos corpos em uma fossa da casa, em um local próximo à cerca do lado direito do imóvel e também na saída da cozinha da casa”, informou o perito.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.