Jonas Feitosa da Silva foi preso em Santa Luzia, no Estado do Pará
Jonas Feitosa da Silva foi preso em Santa Luzia, no Estado do Pará

O delegado regional de Imperatriz, Eduardo Galvão, e outros integrantes da Polícia Civil do Maranhão foram até a cidade de Santa Luzia, no Estado do Pará, para buscar o carro do taxista Eurico Neres Costa, encontrado morto na última quarta-feira (27), em Imperatriz.

Na cidade paraense, o delegado também interrogou o Jonas Feitosa da Silva, que foi preso utilizando o carro do taxista e é suspeito de ter matado Eurico com um tiro na cabeça. Também foi encontrado um revólver, que segundo o delegado regional, foi a arma utilizada no crime. A polícia trouxe Jonas para Imperatriz, onde ele deve ficar preso à disposição da Justiça.

O caso

O taxista Eurico Neres desapareceu no último dia 23 após pegar um passageiro para uma corrida normal em Imperatriz, mas não voltou mais para casa. O corpo dele foi achado na última quarta-feira (27) já em avançado estado de decomposição. O corpo foi encontrado por uma pescadora próximo a um bueiro
na Vila Chico do Rádio.

Após o exame de necropsia, foi constato que o taxista foi morto com um tiro na cabeça e foi executado no sábado, o mesmo dia em que ele desapareceu. O corpo de Eurico foi velado na sede do Sindicato dos Taxistas de Imperatriz.

A polícia trabalha com duas linhas de investigação no crime. Uma é de latrocínio, que é roubo seguido de morte. A outra linha, segundo o delegado, é que o taxista possa ter presenciado alguma negociação e foi morto como queima de arquivo.

O carro do taxista Eurico Neres foi achado, nesse sábado (30), no município de Santa Luzia no Estado do Pará, distante cerca de 600 km de Imperatriz. Segundo o delegado regional, Eduardo Galvão, o carro estava sendo usado normalmente como táxi na cidade. Na ação também foi Jonas Feitosa, que usava o carro na cidade. (iMirante)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.