Os professores da Universidade Federal do Tocantins (UFT) decidiram nesta terça-feira, 26, em assembleia, no auditório do Bloco III, em Palmas, que participarão da greve nacional a partir dessa quinta-feira. Os técnico-administrativos da universidade já votaram a favor da paralisação e também param a partir da mesma data.

No início da reunião, alguns professores se manifestaram a favor de outra assembleia, que aconteceria no próximo dia 3. O intuito seria possibilitar mais tempo para realização de assembleias nos câmpus de Arraias e Gurupi. Contudo, no final do encontro, a maioria dos presentes decidiu pela greve.

Pauta Nacional

A pauta do setor das instituições federais de ensino superior está dividida em cinco eixos: a defesa do caráter público da educação, as condições de trabalho, a garantia de autonomia, a reestruturação da carreira e a valorização salarial dos professores ativos e aposentados. As negociações do momento referem-se ao que vai entrar no Projeto de Lei Orçamentária de 2016, com previsão de fechamento no mês de agosto.

Relembre

Em 2012, os servidores e professores da UFT ficaram em greve por cerca de quatro meses. O movimento até hoje reflete no calendário acadêmico, que permanece diferenciado. (JT)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.