Publicadas no Boletim Oficial, as decisões da Primeira e da Segunda Câmaras do Tribunal de Contas do Tocantins são referentes às contas de ordenador de despesas, veja se o seu município consta na lista.

EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2012

Câmara de Angico- Julgamento pela regularidade

Presidida pelo conselheiro Napoleão de Souza Luz Sobrinho, o julgamento da prestação de contas da Câmara de Vereadores de Angico foi pela regularidade. Segundo a Corte, a decisão foi pelo o atendimento aos princípios norteadores da administração e da contabilidade, ausência de inconsistências e irregularidades capaz de macular as contas.

Fundo Municipal de Saúde de Angico- Julgamento pela regularidade com ressalvas

Julgadas regulares com ressalvas as contas de ordenador de despesa do Fundo Municipal de Saúde de Angico (2012), sob gestão de Fatiana Carla Alves Sousa.

Fundo Municipal de Saúde de Buriti do Tocantins – Julgamento pela regularidade com ressalvas

Perante as gestões orçamentária, financeira patrimonial satisfatórias, as contas de ordenador de despesas do Fundo Municipal de Saúde de Buriti, da então gestora, à época, Sidney Oliveira Silva, foram julgadas regulares com ressalvas.

Fundo Municipal de Saúde de Wanderlândia – Julgamento pela irregularidade

Entre as irregularidades apontadas pelo relator do processo, conselheiro André Luiz de Matos Gonçalves, estão insuficiências financeira para arcar com compromissos vindouros, existência de saldos devedores, ingerência das contas do fundo e ausência de mecanismos de controles do gasto público. Pelas irregularidades, aplicação de multa de R$ 25.400,00 ao gestor, à época, Maurílio Valadares Freitas.

EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2011

Prefeitura de Esperantina- Julgamento pela irregularidade

Pelas desconformidades identificadas na prestação de contas de ordenador de despesas da prefeitura de Esperantina, o julgamento foi pela irregularidade. Acarretando à ex-prefeita, no exercício de 2011, Geneci Perpetua dos Santos Almeida, imputação de débito no valor de R$ 17.855,00 e multa de R$ 1.785,50. Cintia Kicila Barbosa Silva, responsável pelo Controle Interno à época, recebeu multa no valor de R$1.679,28 e Amaurilio Candido de Oliveira, Contador à época, multa no valor de R$ 679,28.

Câmara de Aguiarnópolis- Julgamento pela regularidade com ressalvas

Por unanimidade dos votos, a Corte da Segunda Câmara do TCE/TO julgou as contas de ordenador de despesas da Câmara de Vereadores de Aguiarnópolis regulares com ressalvas, de gestão, à época, de Roberto Carlos Borges Fernandes.

Fundo Municipal de Saúde de Luzinópolis- Julgamento pela regularidade com ressalvas

As contas de ordenador de despesas do Fundo de Saúde de Luzinópolis, no exercício de 2012, gestor responsável, Jose Nelson Brito da Silva, foram julgadas regulares com ressalvas.

EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2010

Prefeitura de Ananás- Julgamento pela irregularidade

Imputação de débito no valor de R$ 77.628,11 e multa total no valor de R$29.181,41 aplicada à ex-gestora de Ananás, Raimunda Rosa de Souza Carvalho, são referentes as irregularidades encontradas na prestação de contas da prefeitura, como ineficiência de controle de almoxarifado, ausência de controle de gastos com combustível, deficiência física nas unidades hospitalares, entre outras.

EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2009

Prefeitura de Ananás- Julgamento pela irregularidade

No exercício de 2009, de responsabilidade da gestora, à época, Raimunda Rosa de Souza Carvalho, as contas da prefeitura de Ananás foram julgadas irregulares. Entre as desconformidades, estão multas e juros por devolução de cheques e não execução de processo licitatório. Imputação de débito no valor de R$ 197.921,09 e multa no valor total de R$ 27.596,05 foram aplicados a gestora.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.