281420_1000

Iniciada nesta terça-feira, 3, em sua 16ª edição a Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins), que tem como tema Tecnologia a favor do homem e da natureza. Tem a expectativa de queda no volume de negociação na avaliação do próprio Governo, empresários e agropecuaristas.

O Governo do Tocantins de forma oficial anunciou que esperar movimentar cerca de R$ 500 milhões em negócios. Valor inferior ao ano passado que conseguiu consolidar volume de negócios na casa de R$ 606 milhões. Isso representa que comparando 2015 com 2016, caso as previsões do Governo se confirmem a diminuição será de 17,4%.

Empresário e agropecuarista vão além e dizem esperar diminuição de pelo menos 40% na movimentação. Ouvidos pelo webjornal Folha do Bico, diversos empresários e pecuaristas dizem que não é apenas o momento financeiro ruim que o país passa, que seria o único causador do declínio da Agrotins. Eles afirmam que a falta de organização, desestimulo no estado e uma política pública constante, são os protagonista do que eles consideram um fiasco o evento deste ano.

Em conversar com nossa reportagem o pecuarista de Araguaína, Arimatéia Umuarama, comentou que apensar do ano passado a Agrotins já se mostrar fraca, ele não imaginava que em 2016 seria pior. “Infelizmente a Agrotins virou uma mesmice. Os investidores e população se sentem desmotivados. Se o governador Marcelo Miranda não tomar medidas urgentes a tendência é a feira acabar nos próximos anos. Precisamos de urgentes mudanças a reclamação aqui tem sido grande. única coisa que a gente vê aqui são alunos das escolas”, contou.

Já o investidor paulista Ricardo Hen Yudi, disse que ainda seria um pouco cedo para confirmar, mas tirando por base os dois primeiro dias, as perspectivas ao são boa. “Conhecemos diversas feiras, principalmente na Bahia, Mato Grosso, Goiás e São Paulo, não é a primeira vez que estamos aqui na Agrotins, mas sinceramente parece que vai ser decepcionante”, disse.

A Agrotins segue até sábado, dia 7 de maio, conta com cerca de 550 expositores. Este ano, sua temática propõe colocar em evidência as rápidas transformações que a moderna agricultura vem sofrendo nas últimas décadas e que a tornou uma atividade altamente competitiva.

Os expositores apresentarão lançamentos de máquinas, insumos e serviços agrícolas, agroenergias, propriedades rurais e novidades para a pecuária. Também serão apresentadas as tendências inovadoras para o agronegócio nas áreas da construção civil, concessionárias de veículos, associações e cooperativas, instituições bancárias, órgãos públicos da esfera federal, estadual e municipal, entre outros ligados ao setor agropecuário.

Durante os cinco dias de feira, serão ofertados palestras, fóruns, seminários e clínicas tecnológicas, e ainda as unidades de campos e roteiros nas vitrines tecnológicas, dinâmicas para mostrar o funcionamento de máquinas agrícolas e melhor forma de plantio.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.