IMG-20160505-WA0557

A 16ª edição a Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins), caminha para ser um fiasco não apenas durante esta semana. Segundo a assistente administrativo, Naila Davina Geides Paes, os problemas e “rolos”, começaram bem antes do início do evento. Naila protocolou no Ministério Público, uma Representação contra o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária e contra a pregoeira Meire Leal Ludovico Pereira, por supostas fraudes na licitação que contratou empresa para locação de tentar e estrutura na 16ª edição da Agrotins.

Segundo Naila Paes, houve maracutaia na licitação. Ela afirmou na denúncia que no dia 1ª de abril, foi aberta sessão pública de licitação, para a contratação de empresa especializada nos serviços de locação, montagem, manutenção e desmontagem de estruturas para eventos, que atenderia a Agrotins. No decorrer da sessão o item 1, teve a empresa MMX, Eventos e Congressos Científicos, como vencedora, mas que acabou declinando da prerrogativa. A pregoeira então passou a negociar com as empresas restantes.

Naila Paes afirmou que algumas empresas não apresentaram propostas ou redução de valores, fato que culminou tendo a empresa JDV Educação e Eventos como nova vencedora.

Já dia 15 de abril, Naila diz que a pregoeira Meira Leal, informou no chat da licitação que a empresa JDV Educação e Eventos, não havia se manifestado e respondido as convocações, fato que acabou provocando o cancelamento da licitação do objeto. Três dias depois, a pregoeira Meire Leal avisou que a empresa Caroline Braga Teixeira, enviou email no dia 15, informando que poderia reduzir sua proposta para R$ 330.250,00, fato esse que levou a pregoeira a retomar  negociação com a empresa JM de Lima, que seria a próxima na linha de sucessão das licitantes e posterior convocação da Caroline Braga Teixeira. Sem obter a desejada redução de preço, às 8h48 do mesmo dia, foi informada a manutenção do cancelamento.

Ainda no dia 18, às 11h22, a empresa Caroline Braga Teixeira, solicitou retorno da negociação, pois estava com problemas de energia elétrica. Porém, a pregoeira recusou a retomada da negociação. Às 11h23, a pregoeira oficializa que o item do certame estaria cancelado, pois já havia tentado negociação, mas não havia obtido sucesso. O processo então foi encaminhado para a Seagro, para análise, e no dia 28, foi informado que a licitação retornaria à fase de habilitação.

No dia 29, às 08h25, a pregoeira afirmou que por solicitação em Ofício 631//2016 GASEC, da Seagro, por determinação do secretário, Clemente Barros Neto, acatou recurso da empresa JDV Educação e Eventos Eireli, esta empresa foi declarada vencedora, atropelando assim, os princípios apresentados durante negociações.

IMG-20160505-WA0681

Naila ainda diz na denúncia, que outro fato estranho, seria que antes mesmo da declaração da vencedora, a empresa JDV Educação e Eventos Eireli, já havia começado a executar os serviços na Agrotins. Eles esteve no local dois dias antes da oficialização da vencedora e já flagrou a execução do serviço.

A denúncia de Naila foi protocolada no dia 29 de abril, na sede do Ministério Público em Palmas.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.