CreateThumbnail (3)

O Departamento de Trânsito do Pará (Detran) fez mais uma operação Lei Seca na última sexta-feira (6) em Marabá, na região de Carajás. Dez condutores foram flagrados dirigindo sob efeito de álcool com níveis superiores aos aceitos pela legislação, configurando crime de trânsito. Eles foram encaminhados à delegacia para os procedimentos penais cabíveis. A equipe, formada por 30 agentes de trânsito, prossegue com as ações do Maio Amarelo, com ênfase na Lei Seca, em Marabá, até esta segunda-feira (9).

A ação foi montada no trevo de acesso à Marabá Pioneira, que dá acesso à orla da cidade, em ação que começou às 23 horas e seguiu pela madrugada. O motociclista Antônio Alves, 38 anos, foi autuado dirigir sem ser habilitado. “Estou juntando dinheiro para comprar uma moto, mas a agente que me abordou foi muito educada e me orientou a dar entrada primeiro no processo para obter a habilitação antes de adquirir um veículo. Estou errado, sei que não posso dirigir sem habilitação”, disse.

“Esta é uma situação de comportamento, ou seja, depende do indivíduo, e é muito complicada de se trabalhar, sobretudo em adultos, já cheios de vícios. Algumas pessoas abordadas passaram pela equipe educativa. Paramos uma família em que todos usavam o laço amarelo do movimento global Maio Amarelo. Isso ratifica a questão do comportamento. Não se trata de desinformação. As pessoas sabem que existe a lei e as penalidades serão aplicadas, mas elas não atentam para o mais importante: as próprias vidas, de familiares e de terceiros”, frisou o coordenador geral da ação, agente Ivan Feitosa.

Segundo a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), o consumo de bebida alcoólica é responsável por 30% dos acidentes de trânsito. Metade das mortes, segundo o Ministério da Saúde, está relacionada ao uso do álcool por motoristas. “A configuração atual da atual Lei Seca estabelece tolerância zero em relação ao limite de álcool no organismo de motoristas. Isso significa que qualquer quantidade de álcool resulta em multa. Para caracterizar crime de trânsito, foi estipulado o limite de 0,34 miligramas de álcool por litro de ar soprado”, informou o agente.

A abordagem resultou em 21 remoções, entre carros e motocicletas, 70% por licenciamento em atraso. O total de 168 motoristas fez o teste do bafômetro, mas 20 se negaram a fazer. Eles foram autuados com base no Artigo 277 do Código de Trânsito, que prevê as penalidades com base em sinais de embriaguez apresentados pelo condutor. “Quando o motorista não se submete aos exames de comprovação da embriaguez, mas apresentar sinais que demonstrem a alteração da capacidade psicomotora, a legislação também estabelece penalidades a serem aplicadas”, explicou o agente Ivan Feitosa. (Aldirene Gama)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.