Sem título

A Justiça de Parauapebas, no sudeste do Pará, ouviu nesta segunda-feira, 16, os acusados de envolvimento na morte do advogado Dácio Cunha no município, em novembro de 2013. Após a audiência, o juiz deve marcar a data do julgamento dos réus.

Os quatro acusados, entre eles uma advogada que era sócia da vítima e um capitão da Polícia Militar, estiveram presentes na audiência de instrução realizada no Fórum de Parauapebas durante a manhã. As testemunhas de defesa e acusação dos réus também irão prestar esclarecimentos diante do juiz que preside o caso.

O advogado Dácio Cunha foi assassinado em novembro de 2013, no momento em que deixava a própria casa, no centro de Parauapebas. A vítima foi surpreendida por tiros disparados por dois homens que chegaram numa moto.

Segundo o Ministério Público do Pará (MPPA), o crime teria sido encomendado pela advogada Betânia Viveiros, que foi sócia da vítima em escritório de advocacia. Ainda de acordo com o MP, o capitão da PM Dercílio Júlio teria agenciado o crime e os outros dois policiais militares seriam os executores do assassinato.

Os acusados foram presos em fevereiro deste ano. A advogada, o cabo e o capitão da Polícia Militar estão soltos, mas cumprem medidas cautelares, entre elas, a de não se ausentar da cidade sem autorização judicial. O advogado responsável pela defesa dos acusados informou que não irá se pronunciar.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.