image

Líderes de cerca de 30 entidades sindicais estiveram, nesta quarta-feira, 11, no Palácio do Araguaia, para cobrar os pagamentos da data-base de 2016 e dos retroativos da data-base de 2015. Conforme a assessoria dos sindicalistas, na última segunda, o grupo também esteve na Secretaria da Administração (Secad) para fazer a mesma cobrança.

De acordo com o grupo, a data-base de 2016 está calculada em 9,8307%. O percentual, que corresponde a recuperação das perdas inflacionárias apuradas pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) tem que ser acrescido na folha salarial de maio, a ser paga em junho, conforme lei estadual. Os sindicalistas também cobram do governo o retroativo da data-base de 2015. Segundo eles, isto deveria ter começado a ser pago em janeiro, o que não ocorreu.

Um ofício com todas as reivindicações foi entregue ao secretário-geral de governo, Lívio Carneiro de Queiroz, solicitando uma reunião do governo com todos os sindicatos, assim como a implementação imediata da data-base. Na ocasião, conforme informações dos sindicalistas, Queiroz garantiu que o governo vai dialogar com os servidores e prometeu uma reunião para a próxima quarta-feira, 18.

Em nota, a Secad informou que discutirá ainda nesta semana com o Grupo Gestor o pagamento da data base 2015 e informará oficialmente às categorias sindicais. (Jornal do Tocantins)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.