IMG-20160501-WA1179

Lideranças de PMDB e PCdoB de Palestina do Pará, procuraram o webjornal Folha do Bico, nesta segunda-feira, 2, para denunciar uma suposta operação ilegal de transferência de títulos eleitorais.

Segundo os líderes, um movimento acima do normal causou espanto neste final de semana em Palestina do Pará. Ainda segundo PMDB e PCdoB, as supostas transferências estariam sendo feitas por PSDB e PDT, onde as legenda estariam fazendo o que eles consideram “arrastão” em municípios da região, arregimentando pessoas vulneráveis a transferirem os seus domicílios eleitorais para Palestina do Pará.

Dezenas de carros particulares, vans e motos chegavam a todo momento no Posto de Atendimento do Cartório Eleitoral de Palestina do Pará, todos na sua maioria com placas do Tocantins e de outras cidades do Pará, como Marabá e Parauapebas. Todos estes veículos traziam pessoas desconhecidas e sem vínculo familiar com moradores de Palestina do Pará.

O nível da movimentação casou tanta estranheza que lideranças políticas e cidadãos comuns de Palestina do Pará, estiveram no local e detectaram que de fato, houve uma mega operação pra fazer com que cerca de 250 pessoas que não são da cidade, fossem atendidos no Cartório Eleitoral.

Conforme exigência da Justiça Eleitoral, quem não tem comprovante de residência próprio, pode apresentar uma Declaração de Residência, onde o cidadão auto declara seu endereço e apresenta ao Cartório, que já procede a transferência ou inscrição eleitoral. Com isso, dezenas de pessoas apresentaram de forma fraudulenta, estas declarações que foram feitas e impressas em endereços certos nestes dias, afim de viabilizar a consolidação da operação criminosa de transferências de títulos eleitorais, para facilitar a efetivação de um projeto político, coordenado pelo PSDB e PDT.

PMDB e PCdoB dizem ainda que esta mesma prática foi realizada na eleição de 2012 e a Justiça Eleitoral, por meio da Comarca de São João do Araguaia, chegou a cancelar mais de uma centena de títulos que foram transferidos de forma suspeita. Houve inclusive, a cassação da chapa vencedora em 2012 e a realização de eleição suplementar em 2013.

Desta vez, por meio de alguns vereadores e outras lideranças, este episódio já foi denunciado ao juiz eleitoral da comarca para providências.

Há informações de que a própria responsável pelo Posto do Cartório Eleitoral, estava se sentido pressionada a atender estas pessoas, por meio de lideranças dos partidos acima citados.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.