Sem título

Para chegar à Marabá está cada vez mais difícil. A ponte sobe o rio Tocantins, trecho da BR-222, está com buracos e sem iluminação. Motoristas reclamam das condições precárias da via e também dos assaltos. Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) informou que já abriu a licitação imediata para a manutenção da ponte há 75 dias.

A ponte rodoferroviária é um dos cartões postais de Marabá, com 2.340 metros de extensão. Construída em 1985, a via é a principal ligação à Marabá pela BR-222 e responsável por transportar o minério de Carajás para o Porto de Itaqui, em São Luís, Maranhão.

A quantidade de buracos presentes nos dois sentidos da ponte está dificultando o tráfego de veículos, pedestres e mercadorias, e quando chega à noite o perigo fica ainda maior, já que o risco de acidentes e assaltos aumenta pela falta de iluminação.

“É mais perigoso, principalmente à noite, devido aos bandidos, ladrões. Ninguém enxerga ninguém, só os faróis dos carros“, relatou Wegnor Kaio Alves da Silva, Pescador.

De acordo com o DNIT, órgão responsável pela manutenção da ponte, já iniciou o processo licitatório para a recuperação da imediata no trecho da rodovia onde fica a ponte. A previsão que a licitação seja concluída em até 60 dias e as obras comessem 15 dias depois.

A empresa Vale, que utiliza a ponte para o transporte do minério para o Porto de Itaqui, informou que ano que vem realizará manutenção geral na ponte, em parceria com o DNIT, incluindo asfaltamento e iluminação.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.