IMG-20160428-WA0097

Nesta terça-feira, 3, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), do Bico do Papagaio, procurou o webjornal Folha do Bico, e apontou o empresário Armando Cayres, por grilar terras no município e usar um “laranja” (pessoas que empresta o nome), para camuflar o verdadeiro proprietário do terreno.

Segundo informações do MST, mais de 70 famílias do acampamento Padre Josimo, que se encontravam acampadas às margens da rodovia, TO-407, no município de Carrasco Bonito, ocuparam dia 28 de março de 2016, uma área de terra no Projeto de Assentamento (P.A.) Cupim, que compreende sua área nos município de Sampaio e Carrasco. O referido assentamento foi criado no ano de 1992 e assentadas 74 famílias, numa área de 5.377 hectares. Atualmente parte dessa área, com mais de 700 hectares, segundo o MST se encontra irregularmente ocupada por Armando Cayres, utilizando o nome de Jairton Pereira Almeida, que denominou o lugar de Fazenda Alto Bonito.

IMG-20160428-WA0094

O MST diz ainda que Jairton Pereira Almeida não trabalha na área, mas sim em um posto de combustível de propriedade de Armando Cayres em Augustinópolis.

Diante desta situação, o movimento Sem Terra resolveu ocupar o terreno para denunciar a irregularidade e exigir que o Incra retire o fazendeiro do local e assente as famílias sem terra.

Ainda segundo o MST afirma, o Incra já teria realizado vistorias na área e constatado a existência da grilagem, por parte do fazendeiro Jairton, junto ao assentamento, o qual foi notificado. Entretanto o referido fazendeiro ingressou com uma ação na Justiça que concedeu liminar de reintegração. A Defensoria Pública Estadual recorreu da decisão. Porém, a Justiça mesmo sabendo que a área pertence à União, conforme documentos apresentado nos autos pelo Incra, manteve a decisão.

IMG-20160428-WA0096

O MST informou que na área do assentamento as famílias já estão organizando atividades produtivas. No local se encontra mais de 50 crianças e pessoas idosas.

A reintegração de posse está prevista para ser cumprida na próxima segunda-feira, dia 9.

Procuramos por telefone o fazendeiro e empresário Armando Cayres que não atendeu as ligações. O mesmo espaço fica aberto para que o fazendeiro se posicione.

Correção

Sobre o episódio envolvendo a disputa de terras entre o Movimento dos Sem Terra em Sampaio, cuja desapropriação está marcada para a próxima segunda-feira, dia 9, o webjornal Folha do Bico retifica a notícia e informa que as acusação do MTS são contra o empresário e fazendeiro, Armando Cayres e não contra o pré-candidato Armindo Cayres, irmão de Armando. Portanto Armindo nada tem haver com a denúncia.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.