As atividades de diagnóstico, realizadas pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro) juntamente com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Pesca e Aquicultura e parceiros, continuam nesta semana, de terça-feira, 31, até a sexta-feira, 3, nos municípios de Xambioá e Araguanã. O objetivo é levantar informações sobre a pesca artesanal tocantinense no Rio Araguaia. Nesta terceira etapa, a equipe de técnicos estará nas colônias de pescadores Z-33, e Z-32, ambas na região do Bico do Papagaio.

O projeto tem como objetivo conhecer as tecnologias de petrechos de captura; embarcações; forma de pesca e conservação de pescado a bordo, no sistema pesqueiro continental do Rio Araguaia, do lado tocantinense. Segundo o gerente de pesca da Seagro, Thiago Fontolan Tardivo, o levantamento servirá de suporte para ações de políticas públicas do Governo do Estado. “Mais uma vez iremos a campo para dar continuidade à pesquisa e conhecer melhor essa atividade pesqueira no Estado, além de buscar as condições para fomentar a pesca tocantinense”, argumentou.

O levantamento é realizado em três fases de atuação: Plano de Gestão, Diagnóstico Participativo e Adaptação Tecnológica. A pesquisa acontece em 14 municípios à beira do Rio Araguaia. O Tocantins possui um total de 7.033 pescadores, em 37 colônias.  A previsão é que a pesquisa seja finalizada em 2018.

A pesquisa é resultado do convênio destinado ao projeto Conhecimento e Adaptação Tecnológica para o Desenvolvimento Sustentável da Pesca no Rio Araguaia. No estudo, participam: Seagro, Embrapa, Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins).

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.