O governador Marcelo Miranda (PMDB), caminha a passos largos rumo a cadeira de senador da república. Para isso, além dos ajustes políticos, como o “Bolsa Liderança”, distribuição de Secretárias para aliados políticos e propaganda de obras mela metade, o Governo agora quer contrair empréstimos de R$ 453.240.000 junto à Caixa Econômica Federal, e de R$ 146.760.000 ao Banco do Brasil, para iniciar obras que serão usadas como argumento de que o Governo estaria trabalhando, tentando assim dar uma “enganada” no eleitor.

É importante ressaltar que os empréstimos feitos no governo Siqueira Campos e Sandoval Cardoso, para construção e manutenção de estradas e hospitais, nunca foram aplicados em sua totalidade e obras como as nos hospitais de Palmas, Araguaína, Gurupi, Augustinópolis, estradas por todo o estado e também a recuperação, nada foi concluído. Pelo contrário, foram até motivo de operação de Polícia Federal sob graves suspeitas de corrupção.

Usando o mesmo argumento de Siqueira e Sandoval, Marcelo enviou o pedido para a Assembleia Legislativa, só que o presidente, deputado Mauro Carlesse (PHS),  por sua vez, pediu no dia 13 de abril, que o governador detalhasse como seriam gastos esse recurso.

As explicações chegaram está semana às mãos de Carlesse que disse que de posse das informações prestadas pelo Governo, os deputados vão analisá-las, uma a uma. Caso sejam suficientes, o projeto continuará tramitando no Parlamento. Caso contrário, a Casa fará nova solicitação de esclarecimentos.

Os pedidos de empréstimo deram entrada na Assembleia sem qualquer especificação de seu destino. Em função do montante, Carlesse solicitou o detalhamento da aplicação dos valores, motivo pelo qual o presidente da Casa de Leis oficiou o Palácio Araguaia requerendo informações sobre a destinação dos recursos, especialmente as obras a serem realizadas. (Com informações de Rubens Gonçalves)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.