Fazendeiros acusados de desmatamento em cinco municípios do Pará foram alvo de cinco ações do Ministério Público Federal (MPF) na Justiça. De acordo com informações do Ibama, os fazendeiros citados nas ações são responsáveis por desmatar 380km² de floresta entre os anos de 2007 e 2014, área equivalente a 38 mil campos de futebol.

“São empresas que já vinham sendo multadas desde 2008. Tem multas antigas, mas a gente fez um recorte agora, de multas de 2008 pra cá, alguns chegando a ter mais de 20 processos aqui no Ibama”, explica Hugo Américo, Superintendente do Ibama no Pará.

Segundo o MPF, os fazendeiros fraudavam o sistema de controle do comércio de produtos florestais no Pará, com o objetivo de vender madeira de origem ilegal dos municípios de Anapu, Altamira, Rondon, Ulianópolis e Santa Bárbara do Pará. A procuradoria do MPF pede nas ações que toda área desmatada seja recuperada, além do pagamento de indenizações cujo valor total ultrapassam os R$ 200 milhões.

A procuradora chefe da Divisão Jurídica do Ibama no Pará, Karine Levy, informou que o órgão prepara mais 10 ações contra fazendeiros acusados de desmatamento. “Estamos priorizando os casos mais importantes, aqueles infratores mais contumazes”, afirma a procuradora.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.