A Secretaria de Defesa e Proteção Social (SEDEPS), em parceira com conselhos e Comissão de Direitos Humanos, dá início às etapas municipais regionalizadas da Conferência Estadual Conjunta dos Direitos Humanos. O objetivo é integrar as temáticas pela perspectiva da transversalidade dos Direitos Humanos.

No Bico do Papagaio o evento acontecerá nos dias 19 e 20 de agosto em Augustinópolis.

A conferência, que terá como tema “Direitos Humanos Para Todas e Todos: Democracia, Justiça e Igualdade”, contemplará cinco temáticas, que levarão os participantes a discutir, avaliar e elaborar propostas de políticas públicas para pessoas idosas, pessoas com deficiência, crianças e adolescentes, lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

De acordo com a diretora de Direitos Humanos, Vanir Ilídio, toda pessoa possui direitos fundamentais pelo simples fato de ser pessoa humana. “Sem estes direitos, essa pessoa está impossibilitada de participar plenamente da vida e se desenvolver. A todo ser humano devem ser asseguradas, desde o seu nascimento, as condições mínimas necessárias para que se possa viver dignamente e para que tenha possibilidade de participar da riqueza produzida pela sociedade, que é coletiva”, afirma.

A I Conferência Estadual Conjunta dos Direitos Humanos, que será realizada em setembro deste ano, bem como todas as conferências regionais, resultam de uma construção coletiva, a partir da criação de um comitê organizador, que reúne órgãos estaduais, membros de conselhos e comissão das referidas temáticas e servidores dos municípios que sediarão as regionais.

Para a secretária titular da SEDEPS, Gleidy Braga, as conferências regionais foram pensadas com o objetivo de favorecer a participação social e contribuir para a logística nos municípios, de uma forma que todos possam estar presentes. As propostas da conferência estadual, em setembro, serão levadas para a conferência nacional conjunta de Direitos Humanos prevista para os dias 1 a 6 de junho de 2016.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.