O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da 12ª Promotoria de Justiça de Araguaína, expediu, recomendação aos órgãos ambientais do Estado para que intensifiquem a fiscalizações no rio Araguaia com o objetivo de evitar a extração de areia sem autorização ou licença ambiental.

A promotora de Justiça, Ana Paula Reigota Ferreira Catini, enfatiza na recomendação, que, com a proximidade da temporada de praias no Tocantins, é comum dragas retirarem areia dos rios com a finalidade de formar praias artificiais. Essa prática, sem que haja autorização ou licença ambiental, é considerada crime, conforme especifica o artigo 55 da Lei nº 9.605/98 (Lei de crimes ambientais).

O documento estipula o prazo de dez dias úteis para que IBAMA, NATURATINS e Batalhão de Polícia Militar Ambiental respondam sobre o acatamento da recomendação. Caberá aos órgãos, em caso de constatação de irregularidades, adotar as medidas administrativas cabíveis, tais como autuação, apreensão e embargo, além de informar ao Ministério Público Estadual as ações desencadeadas em relação a cada flagrante de irregularidade.

Na região do Bico do Papagaio a fiscalização deve reforçada em Araguatins, Esperantina e Ananás onde existem diversas praias e empresas operando na extração de areia.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.