IMG-20150626-WA0014
Reunião em Brasília da quinta, entre Gomes e deputado, onde a bancada ficou livre para discutir uma composição com o Governo

 

Adversários em 2014, Eduardo Gomes (SD), ex-deputado federal e candidato a senador derrotado na eleição passada e Marcelo Miranda (PMDB), atual governador, caminham para uma aproximação política.

Sem mandato após 20 anos, Eduardo Gomes recebeu de Marcelo Miranda o convite para assumir a coordenação política do Governo do Estado. Mesmo sem responder se aceita ou não o convite de Miranda, Eduardo Gomes já trabalha em favor do Governo e foi o principal responsável por desbancar seu agora, ex-aliado e ex-governador Sandoval Cardoso, da presidência do SD, partido que Gomes é um dos criadores e membro da executiva nacional.

Eduardo Gomes de uma tacada só, limpou o caminho para que quatro deputados estaduais assumam o comando do SD, no Tocantins, e possam compor a base governista na Assembleia Legislativa. Fato que vinha sendo barrado pelo ex-governador Sandoval Cardoso.

Em reunião na quinta-feira, 25, em Brasília, com o presidente nacional do SD, Paulinho da Força, os deputado tocantinenses, Amélio Cayres, Vilmar do Detran, Jorge Frederico e Wanderley Barbosa, receberam o apoio da executiva nacional, abonados por Eduardo Gomes.

Caso Gomes aceite o convite, será a primeira vez na história política do ex-parlamentar que ele se afastará do siqueirismo.

Eduardo Gomes que perdeu para a senadora e ministra Kátia Abreu (PMDB), por uma diferença de apenas 0,87%, estaria disposto a aceitar o convite de Miranda, mas com duas condições: A primeira seria o compromisso de uma super Secretaria, com força para articular politicamente e realizar ações. E a segunda, o acordo de disputar uma das vagas de senador na chapa governista em 2018.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.