O governo do Estado propôs nesta terça-feira, 30, ao Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins (Sisepe) que o passivo gerado com o possível parcelamento da data-base seja pago em dez e não mais em 24 parcelas, como estava previsto na proposta inicial. Contudo, o governo não alterou a proposta que prevê parcelar o índice de 8,34% da revisão. O impasse levou a categoria a deflagrar greve no último dia 16. A paralisação das atividades continua em todo o Estado.

A proposta referente aos passivos surgiu em reunião realizada há pouco na Assembleia Legislativa com membros do sindicato, parlamentares, e os secretários estaduais Geferson Barros (Secad), Paulo Afonso Teixeira (Sefaz) e David Torres (Seplan).

O encontro ocorreu após a declaração do governador Marcelo Miranda (PMDB), dada na manhã de hoje, quando afirmou que autorizou sua equipe a renegociar o parcelamento dos passivos que seriam gerados com a possibilidade da data-base ser paga em uma parcela imediata e outra a partir de novembro. Porém, Marcelo Miranda frisou que o governo não pagará a revisão em parcela única, como querem os servidores do quadro geral.

Governador

Há pouco, em Gurupi, Marcelo Miranda voltou a falar do pagamento da data-base dos servidores após ser questionado pelo JTo. “Alguns destes sindicatos já aceitaram a proposta do governo. O que está faltando é a sensibilidade de alguns setores de entender que o Estado passa por um momento difícil”, disse o governador.

O governador também falou sobre a proposta do governo referente ao pagamento dos passivos e acrescentou: “Eu acredito que como os outros sindicatos já aceitaram, não temos mais o que falar. Está fechado neste sentido”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.