O Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) estão fazendo uma vistoria nos canteiros de obra da usina de Belo Monte, em Vitória do Xingu, no sudoeste paraense, para investigar o que pode ter provocado o acidente que causou a morte de três operários no último sábado (30). As equipes do MPT e MTE também irão verificar as condições de trabalho na Usina Hidrelétrica Belo Monte.

O acidente ocorreu na madrugada de sábado, quando um dos silos que armazenava mil toneladas de cimento desabou durante uma operação de descarga de caminhões. Os corpos de José da Conceição Ferreira da Silva, Denivaldo Soares Aguiar e Pedro Henrique dos Santos foram encontrados por volta de 19h. Outros três funcionários ficaram feridos foram encaminhados para o Hospital Municipal de Altamira, onde receberam atendimento médico. Dois deles tiveram alta e o terceiro permanece internado com uma fratura no ombro.

Segundo o Consórcio Construtor de Belo Monte, a área industrial permanece interditada e só deve ser liberada após a perícia que, segundo a polícia, deve ficar pronta em até 20 dias. Ainda de acordo com o CCBM, a empresa está ajudando a polícia na apuração das causas do acidente, apoiando nos funerais dos operários e auxiliando a família com passagens aéreas.

Obras

De acordo com o CCBM, as obras na Usina continuam funcionando nos Sítios Pimental, Canais e Diques e Belo Monte. O parque insdustrial deste último permanece interditado por questões de segurança e para prosseguimentos aos trabalhos periciais. Atualmente trabalham nas construções civis da usina cerca de 20 mil operários.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.