image (1)As contas do ex-deputado Junior Coimbra (PMDB) como ordenador de despesas na Assembleia Legislativa foram julgadas irregulares pela Segunda Câmara do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que imputou débito de R$ 4.914.262,88 a ele e outras sete pessoas, entre servidores e representantes de empresas contratadas pela Casa de Leis.

Um contrato entre a Assembleia e a empresa Tocantins Market para prestação de serviço de ouvidoria é um dos principais itens que levou à situação de irregularidade nas contas. O TCE apontou irregularidades no contrato, que teve o valor inicial de R$ 2.516.391,96 aumentado em 100% a partir de Termo de Aditivo, elevando para R$ 5.032.782,32 o custo total. A decisão cabe recurso. (Jornal do Tocantins)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.