O fim das obras na Usina Hidrelétrica Belo Monte, no sudoeste do Pará, aumentou o número de desempregados na cidade de Altamira, no sudoeste do Pará, município mais impactado pelo empreendimento. Mais de 20 mil trabalhadores dos canteiros de obras foram demitidos no final de 2015 e parte deles frequenta diariamente a fila do Sistema Nacional de Emprego (Sine).

Do final de 2015 até agora, o município já recebeu mais de mil currículos. O prefeito reconhece a gravidade do problema social, mas diz que a prefeitura não tem como absorver toda essa mão de obra.

“Nós estamos fazendo o possível e não estamos diminuindo os investimentos para que se mantenha a mão de obra, mas não temos como absolver toda a mão de obra que trabalhava na barragem de Belo Monte”,  explica o Prefeito de Altamira, Domingos Juvenil.

A prefeitura de Altamira calcula que houve uma queda de 52% na economia nos últimos 12 meses. A redução do consumo no comércio local atingiu também o setor empresarial. Os comerciantes de Altamira, que há três anos tinham dificuldades para preencher vagas que estavam sobrando, agora estão demitindo funcionários.

“Já era previsto que chegaria esse momento e que seria o fim de Belo Monte. Esperávamos uma forma mais lenta das demissões. Então, pegou os empresários e a população de Altamira de surpresa”, diz o presidente da Associação Comercial de Altamira, Milton Fisher.

“A gente auxilia os trabalhadores no sentido de buscar uma qualificação a mais ou buscar uma área que ele tenha intimidade, mesmo que ele ainda não tenha experiência”, conta a representante do Sine, Geyse Santos.

“Nós já estamos no final de junho e as vagas que estão aparecendo estão sendo muito concorridas, mas a gente torce para dar certo”, revela o desempregado Francisco da Silva.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.